30 de setembro de 2007

Você acredita na Teoria dos 6 graus de Separação?

As redes sociais dominaram o mundo. As empresas mais conectadas com o mundo atual já utilizam as redes sociais para gerar negócios. Hoje, quando acessamos qualquer uma delas - orkut e Linkedin, por exemplo - descobrimos que temos amigos em comum com pessoas que nem imaginávamos. Seja por termos trabalhado ou estudado no mesmo lugar ou por freqüentarmos os mesmos bares, estamos sempre repetindo a frase: “O mundo é muito pequeno!”
A “Small-World”, uma das experiências mais conhecidas de mapeamento das nossas redes sociais, aconteceu em 1967 (isso mesmo, eu não errei o ano!!), nos EUA. O cientista Stanley Milgram descobriu que estamos ligados a qualquer pessoa através de um número médio de seis outras. E esta teoria ficou conhecida como Teoria dos 6 graus de Separação.
Ele chegou a este número através de uma experiência realizada com 160 pessoas que viviam em Boston e Omaha (Nebraska), nos EUA. Milgram, desafiou cada um deste grupo a entregar uma correspondência a uma pessoa-alvo. Só que eles não poderiam entregá-la diretamente, mas através de amigos. Cada pessoa deveria escrever o seu nome na correspondência de modo que depois fosse possível monitorar o caminho percorrido até o seu destino final.
. A centenária Coca – Cola é uma delas. Uma de suas últimas ações bem sucedidas foi o “Estúdio Coca-Cola”, em parceria com a MTV e algumas gravadoras. Através do Orkut, a Coca recrutou hubs – pessoas com grande número de contatos em redes sociais, de várias cidades do Brasil com a missão divulgar o Estúdio Coca – Cola e, é claro, permanecer em contato com o público adolescente falando a língua que eles mais entendem: a deles próprios! Belo case de conteúdo gerado pelo consumidor. Para saber um pouco mais sobre esta campanha, acesse: http://www.cocacola.com.br/estudio/pt-br/sobre.jsp

E você? Acredita que a Teoria dos Seis Graus das redes sociais pode ser uma alavanca geradora de negócios para a sua empresa?

Um comentário:

Carlos Gouveia disse...

Essa teoria está cada dia mais sólida, Ana. A explosão de novas categorias micro-especializadas de revistas, canais de TV, websites, livros e outros canais midiáticos trouxe à baila um número infindável de assuntos, lugares, experiências, e desejos pelos quais - "surpresa!" - milhões de pessoas demonstraram possuir afinidade. Como a maioria jamais encontrara tantos 'colegas', passaram a ver nestes mesmos canais - especialmente sites de relacionamento - o caminho para encontrar seus novos amigos e criar suas próprias redes. As redes crescem e se multiplicam, sendo que muitas se misturam, transformando o networking numa equação matemática crescente e complexa. Se a internet só começou a crescer violentamente a partir de meados dos anos 90 e 17 anos já estamos assim, como estaremos daqui a mais 17 anos? Será que mudaremos para a Teoria dos 3 ou 4 graus? Gostei do post!! Bjos!