27 de agosto de 2007

Os conselhos da IBM

O novo estudo global da IBM (http://www.ibm.com.br/) -- Navegando pela divisão de mídias: inovando e permitindo novos modelos de negócios (relatório completo) -- traz uma ampla análises sobre os efeitos das novas mídias, em especial aquela gerada pelo consumidor, sobre os negócios tradicionais. Entre os destaques do trabalho feito pela área de consultoria da empresa está uma lista de conselhos que as companhias podem adotar para evitar o pior.

São eles:

1) Coloque o consumidor no centro do seu negócio (e até no conselho da empresa);

2) Converta as informações dos consumidores em vantagem competitiva;

3) Dê oportunidades para o consumidor desenvolver novas ferramentas e idéias para seu produto;

4) Ofereça experiências e não só conteúdo;

5) Expanda a marca da sua empresa para o mundo virtual;

6) Inove radicalmente seu modelo de negócio por meio de parcerias de negócio, e até mesmo, através de aquisições;

7) Invista em anúncios publicitários interativos e mensuráveis;

8) Redefina suas parcerias e minimize o impacto dessa decisão junto aos seus canais;

9) Mude o investimento de sua empresa do tradicional para o novo modelo de negócios e;

10) Desenhe um modelo flexível de negócios que possa mudar facilmente conforme as necessidades do consumidor

Um comentário:

Carlos Gouveia disse...

Trabalho na IBM e tive a chance de comparecer à diversos eventos aonde estes princípios foram reforçados. É interessante perceber que a maioria é facilmente aplicável à quaisquer áreas empresarias, não necessariamente o marketing. Inovar o modelo de negócio, converter informações em vantagem competitiva e redefinir parcerias são processos válidos tanto para micro quanto para macro-processos. Eles podem ser aplicados por pessoas de quase todos os níveis hierárquicos - não apenas CEO's - com novas idéias e um grande entusiasmo pelo sucesso! Viva a democratização de ações realmente efetivas e a conscientização de que o "todo" corporativo é formado não pelo Conselho de Administração e o CEO, mas sim por muita gente, com muitas idéias e potencial criativo!